Sábado, 22 de Janeiro de 2022
83 9 9869-1587
Geral Paraíba

“Se liberarmos o setor da educação, mais de um milhão de estudantes estarão nas escolas”, diz Governador sobre suspensão das aulas presenciais na PB

Várias atividades foram liberadas e voltam a funcionar a partir desta segunda, porém, as aulas presenciais nas redes públicas e privadas seguem suspensas e continuam sendo remotas do dia 5 a 18 de abril.

05/04/2021 08h52 Atualizada há 10 meses
Por: Redação Fonte: Notícia Paraíba
“Se liberarmos o setor da educação, mais de um milhão de estudantes estarão nas escolas”, diz Governador sobre suspensão das aulas presenciais na PB

O Governador da Paraíba, João Azevêdo, concedeu entrevista na manhã desta segunda-feira (4) e falou sobre as medidas do novo decreto publicado no último sábado (2), que flexibiliza o funcionamento de bares, restaurantes, igrejas, comércios e shoppings centers nos municípios paraibanos classificados nas bandeiras laranja e vermelha na nova avaliação do Plano Novo Normal. 

Várias atividades foram liberadas e voltam a funcionar a partir desta segunda, porém, as aulas presenciais nas redes públicas e privadas seguem suspensas e continuam sendo remotas do dia 5 a 18 de abril. 

A decisão tem sido bastante criticada e segundo o governador, ao liberar o segmento da educação, mais de um milhão de estudantes estarão nas escolas. “É preciso entender que quando se trata de educação, não estamos tratando de uma estratificação de pessoas com número reduzido”, explicou. 

O governo do estado afirmou que será realizada uma reunião por videoconferência com a participação dos sindicatos e associações dos professores e trabalhadores das redes públicas e privadas, sindicatos patronais, representantes das universidades públicas e privadas e representação de pais de alunos, com o objetivo de discutir o funcionamento das aulas a partir do dia 12 de abril. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias