Quinta, 23 de Setembro de 2021
83 9 9869-1587
Anúncio
Cidades Camalaú

Prefeito de cidade da Paraíba é mantido afastado do cargo após irregularidades durante gestão

O prefeito ficará afastado do cargo por mais 180 dias.

26/05/2021 17h10 Atualizada há 4 meses
Por: Redação Fonte: Notícia Paraíba
Prefeito de cidade da Paraíba é mantido afastado do cargo após irregularidades durante gestão

O Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu que o prefeito da cidade de Camalaú, no Cariri da Paraíba, Alecsandro Bezerra dos Santos (PSDB), conhecido como Sandro Môco, vai continuar afastado do cargo.

A decisão foi tomada pelo Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), nesta quarta-feira (26).

O prefeito está afastado desde agosto de 2020, após ter sido alvo de uma operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba (MPPB), que investigou fraudes na locação de veículos. 

O prefeito Alecsandro Bezerra dos Santos, foi preso no dia 14 de agosto, suspeito como principal alvo da operação Rent a Car, que apurou a ocorrência de crimes de falsidade documental, fraudes em licitação e desvio de recursos públicos na prefeitura do município de Camalaú. Os contratos fraudulentos provocaram um prejuízo ao erário no valor de R$ 314.690,62.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão foram encontrados arma e uma bolsa com muito dinheiro na casa dele. O Ministério Público estima em R$ 60 mil o volume de recursos encontrado em poder do político. A Operação foi baseada em uma ação penal movida pelo MPPB contra o prefeito de Camalaú, Alecsandro Bezerra dos Santos, e outras pessoas envolvidas, que são suspeitos de planejar e executar enpenho voltado para desviar recursos públicos do município, processado após prévia emissão de documentos falsos e locação fraudulenta de veículos do prefeito, sendo uma caminhonete e um caminhão, registrados em nome de “laranjas”.

Em abril desse ano, o MPPB apresentou uma outra denúncia contra o gestor por corrupção passiva, alegando que o mesmo teria pedido o pagamento de propina, em dinheiro, durante a contratação de uma banda.

De acordo com o MPPB, na ocasião da segunda denúncia, o prefeito teria entrado em contato por meio de um aplicativo de mensagens com o proprietário de uma banda. 

Na negociação, o gestor a contratação por R$ 25 mil, mas expressamente solicitou ao dono que lhe repassasse “o dinheiro do refrigerante”.

Alecsandro  foi reeleito com 55,34% dos votos, em outubro de 2020.

O prefeito ficará afastado do cargo por mais 180 dias.

Leia também:

Paraibano tem documentos clonados e é preso por engano por crime ocorrido em outro estado

Paraíba está entre os 18 estados brasileiros que mais registraram mortes por Covid-19 em 2021 do que em 2020

Homem de 29 anos tenta estuprar jumenta e é espancado pela população, na Paraíba

Empresário e motorista suspeitos de envolvimento de quadrilha de roubo de cargas são presos em Patos

Corpo de homem em caixão morto com suspeita de Covid é retirado de apartamento com auxílio de guincho, na Paraíba

Novo decreto mantém aulas presenciais suspensas nas escolas da rede pública da Paraíba

Grupo armado mata homem de 37 anos com vários tiros, na Paraíba

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias