22°C 27°C
João Pessoa, PB
Publicidade

Futebol: CPI ouve empresas que rastreiam fraudes e vota convite a Paquetá

A CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas se reúne na terça-feira (18), às 14h, para ouvir o gerente de Integridade da Sportradar, Felipp...

13/06/2024 às 20h12
Por: Redação Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
Jorge Kajuru e Romário são, respectivamente, presidente e relator da CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas - Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Jorge Kajuru e Romário são, respectivamente, presidente e relator da CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas - Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas se reúne na terça-feira (18), às 14h, para ouvir o gerente de Integridade da Sportradar, Felippe Marchetti. O requerimento para o convite a Marchetti ( REQ 42/2024 ) é de autoria do relator da comissão, senador Romário (PL-RJ). O documento descreve a empresa Sportradar, com sede na Suíça, como líder mundial em sistemas de coleta e análise de dados para detecção de fraudes em apostas esportivas.

Segundo Romário, o convite é relevante para que a empresa esclareça o funcionamento da tecnologia que utiliza, como é feito o monitoramento das partidas de futebol no Brasil e como as informações são disponibilizadas aos seus clientes.

Seu requerimento informa que a Sportradar tem contratos com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) para monitorar diversos campeonatos de futebol no Brasil. E que a empresa também possui, entre seus clientes, várias casas de apostas esportivas.

Romário lembra que, conforme relatório divulgado no último mês de março pela Sportradar, o Brasil foi o campeão mundial em fraudes, com 109 partidas suspeitas em um total de 9 mil partidas analisadas.

A CPI também vai ouvir nesta terça-feira o chefe de Integridade para a América Latina da empresa Genius Sports, Thiago Horta Barbosa. O requerimento para ouvi-lo ( REQ 43/2024 ) também foi apresentado por Romário. O senador argumenta que Thiago Barbosa pode levar à CPI uma avaliação das principais fragilidades identificadas em outros países, o que poderia contribuir para aperfeiçoar o combate à manipulação de resultados no Brasil.

De acordo com esse requerimento, a empresa Genius Sports, com sede na Inglaterra, desenvolve uma tecnologia própria de detecção de fraudes em partidas esportivas. O documento informa que a empresa possui contratos com diversas federações esportivas no Brasil e na América Latina. E que, na Europa, firmou acordo com a Premier League, liga de futebol da Inglaterra, entre outros.

Paquetá

Na mesma reunião, a CPI vai votar uma série de requerimentos. O senador Eduardo Girão (Novo-CE), vice-presidente da comissão, apresentou um requerimento de convite ao jogador Lucas Paquetá para esclarecimentos ( REQ 65/2024 ). O presidente da comissão, senador Jorge Kajuru (PSB-GO), também apresentou um requerimento de convite a Paquetá ( REQ 71/2024 ). O jogador atua no time inglês West Ham e na seleção brasileira.

Girão lembra que a Federação Inglesa de Futebol denunciou Paquetá por má conduta com relação a apostas em quatro jogos da Premier League. Segundo a acusação formal divulgada pela federação, Paquetá teria forçado cartões amarelos para si mesmo em quatro partidas, entre novembro de 2022 e agosto de 2023.

Árbitros

O senador Carlos Portinho (PL-RJ) apresentou requerimentos para ouvir o ex-árbitro Manoel Serapião Filho ( REQ 66/2024 ) e o presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol, Salmo Valentim ( REQ 68/2024 ). Serapião Filho é ex-árbitro da Fifa e idealizador do projeto VAR (vídeo auxiliar de arbitragem; em inglês:video assistant referee) no Brasil. De acordo com Carlos Portinho, os dois convidados têm conhecimento privilegiado sobre as diretrizes e exigências impostas pela CBF, “as quais podem influenciar diretamente o exercício da arbitragem e a integridade das competições esportivas”.

A CPI ainda deve votar o pedido de quebra dos sigilos bancário, telefônico e telemático do ex-árbitro Glauber do Amaral Cunha ( REQ 70/2024 ). De acordo com o requerimento, também de Carlos Portinho, Glauber Cunha é apontado como o responsável por gravar um áudio em que reclamava do não pagamento de propina após ter apitado um pênalti e faltas para influenciar o resultado de um jogo das divisões de acesso do Rio de Janeiro.

Ainda constam da pauta o REQ 67/2024 , requerimento de convite do presidente da Associação Brasileira de Apostas Esportivas, Rodrigo Alves, e o REQ 69/2024 , requerimento de convite a uma série de representantes do governo e de empresas ligadas ao ramo das apostas esportivas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias