Sábado, 22 de Janeiro de 2022
83 9 9869-1587
Cidades Comoção e revolta

Criança de 3 anos morta por espancamento é sepultada sob forte comoção no Sertão da Paraíba

Segundo a Polícia Civil, a irmã mais nova da criança que foi morta por espancamento também era vítima de constantes agressões.

17/08/2021 20h05 Atualizada há 5 meses
Por: Redação Fonte: Notícia Paraíba
Criança de 3 anos morta por espancamento é sepultada sob forte comoção no Sertão da Paraíba

O corpo da pequena Ana Laura Tavares Bandeira, de 3 anos de idade, morta vítima de espancamento no último domingo (16), foi sepultado nesta segunda-feira (17), sob forte comoção e revolta na cidade de São José de Piranhas, Sertão da Paraíba.

Além de familiares e amigos, muitos moradores da cidade acompanharam o sepultamento que foi marcado por indignação devido a forma que a criança foi morta.

Segundo a Polícia Militar, a menina foi levada para o Hospital Regional de Cajazeiras no último domingo (15), e um funcionário da unidade de saúde acionou a PM informando que a criança estava com vários hematomas pelo corpo e teria morrido após dar entrada no hospital.

O padrasto da criança, que tem 22 anos, foi localizado e disse à polícia que estava brigando com a companheira e a mulher estava com a criança no braço e ele acabou acertando um soco no abdomem da menina. Já a mãe da criança, que tem 24 anos, contou outra versão aos policiais. Ela disse que o homem estava no quintal com a menina e algum tempo depois disse que a criança tinha caído e batido com a cabeça no chão.

Conforme o delegado de Polícia Civil, Ilamilton Simplício, informou ao Notícia Paraíba, a irmã mais nova da criança que foi morta por espancamento também era vítima de constantes agressões.


Ana Laura

A menina de 2 anos de idade  tem vários hematomas pelo corpo e segundo o depoimento de parentes e testemunhas, as irmãs eram agredidas pelo padrasto há algum tempo.

Segundo o delegado, o casal estava junto há cinco meses. Os dois foram presos em flagrante. O padrasto pelo crime de homicídio doloso qualificado e a mãe foi indiciada por omissão, já que ela tinha consciência das agressões que as filhas sofriam e não denunciava o companheiro.

O suspeito foi encaminhado para o Presídio Regional de Cajazeiras e a mãe está na penitenciária feminina.

A criança de 2 anos está aos cuidados do Conselho Tutelar e passará por exames que devem comprovar as agressões e o caso segue sendo investigado.

O laudo do Instituo de Polícia Científica que vai apontar a causa da morte da criança está previsto para ser entregue em até 10 dias e o inquérito policial deve ser concluído em 30 dias.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias