Segunda, 06 de Dezembro de 2021
83 9 9869-1587
Geral Polêmica

Procurador da Paraíba critica flexibilização de funcionamento das igrejas: 'É ridículo e sem noção"

O decreto publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), estabeleceu o toque de recolher das 22h às 5h para as cidades que, na avaliação epidemiológica, estão nas bandeiras vermelha e laranja. E dentre as determinações, missas e cultos, eventos esportivos e cinemas foram suspensos e fechados.

04/03/2021 09h29
Por: Redação Fonte: Notícia Paraíba
Procurador da Paraíba critica flexibilização de funcionamento das igrejas: 'É ridículo e sem noção

O procurador do Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB), Eduardo Varandas, fez duras críticas sobre a decisão de alguns prefeitos de autorizarem a realização de cultos presenciais nas igrejas.

Varandas classificou a atitude como "ridícula e sem noção" e disse que a pandemia é uma questão de saúde pública e as medidas restritivas decretadas pelos governos é para preservação do direito a vida. 

"Quando um decreto suspende atividades que aglomeram, ele não está cerceando em momento algum a liberdade de expressão, mas sim, por uma questão excepcional de pandemia e saúde pública, está preservando o direito a vida. Então que essa gente de religião está pedindo e dizendo que o decreto é inconstitucional, é absolutamente ridículo  e sem noção”, disse.

O decreto publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), estabeleceu o toque de recolher das 22h às 5h para as cidades que, na avaliação epidemiológica, estão nas bandeiras vermelha e laranja. E dentre as determinações, missas e cultos, eventos esportivos e cinemas foram suspensos e fechados. Porém, algumas cidades da Paraíba tem reconhecido, por meio de decreto, as atividades religiosas como serviço essencial, permitindo assim que igrejas, templos e similares realizem cerimônias presenciais nos municípios.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias