Terça, 07 de Dezembro de 2021
83 9 9869-1587
Cidades Lava Jato

“Dallagnol tirou a máscara” relata deputado Anísio Maia sobre renúncia de ex-procurador da lava jato

Dallagnol foi responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, em Curitiba, e esteve à frente de uma verdadeira perseguição político-partidária contra o Partido dos Trabalhadores e contra o ex-presidente Lula.

05/11/2021 07h26
Por: Redação
“Dallagnol tirou a máscara” relata deputado Anísio Maia sobre renúncia de ex-procurador da lava jato

Durante entrevista a uma emissora de rádio de João Pessoa, o deputado estadual Anísio Maia (PT), caracterizou como “projeto de poder” a renúncia do agora ex-procurador da República, Deltan Dallagnol, que deixou o cargo que ocupava no Ministério Público Federal.

“Ele estava no ministério público fazendo política. Agora que viu que o cenário ficou favorável para uma candidatura, ele decidiu deixar o MP. Ele não tinha tanto amor ao Ministério Público? Não era tão importante para ele o combate a corrupção? Agora para ele o importante é fazer política [...] só que isso ele já fazia antes, de forma clandestina”, declarou o deputado.

Dallagnol foi responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, em Curitiba, e esteve à frente de uma verdadeira perseguição político-partidária contra o Partido dos Trabalhadores e contra o ex-presidente Lula.

“Nós vimos todas aquelas mensagens que foram trocadas, fazendo um jogo político, articulando com Moro politicamente. Sérgio Moro sempre foi parcial e Dallagnol fazia dobradinha com ele para atingir apenas os objetivos políticos”, afirmou. 

A atuação do ex-procurador Deltan Dallagnol sempre ficou em xeque. Em fevereiro deste ano, o conselheiro Luiz Fernando Bandeira de Mello, do CNMP, determinou a abertura de uma reclamação disciplinar para investigar a conduta de Dallagnol no caso da tentativa de criação de fundação da Lava Jato com R$ 2,6 bilhões recuperados da Petrobras.

“Eles querem transformar o Brasil num eterno dependente dos Estados Unidos. Querem um país onde as elites mandam e o autoritarismo impera. Sérgio Moro era o chefe disso tudo, era o juiz  de uma sessão política onde ele atuava”, completou o deputado Anísio Maia.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias