Segunda, 06 de Dezembro de 2021
83 9 9869-1587
Política ALPB

Deputado Anísio Maia solicita que MP investigue atuação da Prefeitura de CG pelo uso do “Kit Covid” no tratamento de pacientes

Segundo o documento, a administração municipal teria obrigado médicos contratados a seguirem de forma compulsória o protocolo “COVID”, prescrevendo medicamentos sem eficácia comprovada e colocando em risco à vida dos pacientes.

09/11/2021 14h31
Por: Redação
Deputado Anísio Maia solicita que MP investigue atuação da Prefeitura de CG pelo uso do “Kit Covid” no tratamento de pacientes

O deputado estadual Anísio Maio protocolou na manhã de hoje (09), durante a 46ª Sessão Ordinária na Assembléia Legislativa da Paraíba, um requerimento solicitando que o Ministério Público Estadual investigue a conduta da Prefeitura de Campina Grande no enfrentamento à pandemia da Covid-19. Segundo o documento, a administração municipal teria obrigado médicos contratados a seguirem de forma compulsória o protocolo “COVID”, prescrevendo medicamentos sem eficácia comprovada e colocando em risco à vida dos pacientes.

“É uma situação muito preocupante. Nós perdemos mais de nove mil paraibanos e muitos podem ter perdido a vida por práticas irresponsáveis de uma verdadeira alienação coletiva que empurrou goela abaixo uma medicação que já mostrou não ter eficácia no tratamento da Covid. O MP precisa investigar essa situação,” relatou.

Essa situação foi reportada pelo site Termômetro da Política, que trouxe numa reportagem onde o médico Tito Lívio, diretor clínico do Hospital Pedro I, admite que havia uma orientação para que fosse prescrito para pacientes doentes ou com suspeita de Covid-19 o uso de medicamentos sem comprovação científica como Ivermectina, Azitromicina e Hidroxicloroquina. O uso desse protocolo teria começado na gestão do ex-prefeito Romero Rodrigues e mantido pelo prefeito Bruno Cunha Lima.

Segundo Anísio, a forma adotada pela Prefeitura de Campina Grande é semelhante à conduta da operadora de saúde Prevent Senior, que vem sendo destrinchada por investigações e denunciada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado Federal.

“Este tipo de conduta atenta contra a saúde pública, a dignidade e os direitos humanos. Eles brincaram com a vida das pessoas, fazendo experimentos sem base científica. É um grupo negacionista que utilizou de medicamentos sem eficácia, contra todas as recomendações das principais autoridades sanitárias, assim como da Organização Mundial de Saúde”, relatou.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias