Quarta, 19 de Janeiro de 2022
83 9 9869-1587
Polícia Investigação

Disputa entre facções rivais pode ter sido motivação da morte de MC Boco, assassinado a tiros durante show

MC Boco, nome artístico de Paulo Roberto Gonçalves Cavalcanti, tinha 34 anos e foi assassinado com 9 tiros durante um show em Porto de Galinhas.

28/12/2021 15h09
Por: Redação
Disputa entre facções rivais pode ter sido motivação da morte de MC Boco, assassinado a tiros durante show

Equipes da Delegacia do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, intensificaram as investigações do assassinato de MC Boco, que ocorreu no domingo (26), em um show em Serrambi, em Ipojuca, no Litoral Sul do estado. Nesta terça (28), o delegado Marcos de Castro informou que uma das linhas de apuração é a disputa entre integrantes de facções criminosas rivais.

MC Boco, nome artístico de Paulo Roberto Gonçalves Cavalcanti, tinha 34 anos e foi assassinado no Aconchego Bar. Ele foi atingido por nove tiros e chegou a ser socorrido para uma unidade de saúde, mas não sobreviveu.

De acordo com uma testemunha, o assassinato ocorreu por volta das 2h40. O autor dos disparos foi um homem encapuzado, ainda não identificado.

Na segunda (27), o corpo do artista foi velado e enterrado no cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, com a presença de parentes, amigos e fãs.

De acordo com informações repassadas pelo delegado, o caso está sendo investigado pela Delegacia do Cabo por causa de outras atividades que estão sendo desenvolvidas pelas equipes da Delegacia de Ipojuca, onde ocorreu o crime.

A Secretaria de Defesa Social (SDS) optou pela transferência do caso para poder agilizar as apurações. Vídeos que circulam nas redes sociais, que relacionariam o artista a uma facção criminosa, estão sendo investigados.

No início da tarde desta terça, agentes deixaram a Delegacia do cabo para fazer buscas. O delegado Marcos de Castro disse que não poderia gravar entrevista, mas informou que testemunhas já estão sendo ouvidas.

Mais depoimentos, segundo o delegado, devem ocorrer na quarta (29) e na quinta (30). Entre as pessoas que serão ouvidas estão MC Neto, que estava no palco com MC Boco do Borel no momento do crime, a viúva do artista, Alynne Silva, bem como parentes e amigos.

No velório, Alynne disse que não acreditava na possibilidade de o crime ter ligação com a criminalidade. Ela afirmou que o cantor de brega funk era bom companheiro e bom pai.

Segundo Alynne, eles estavam casados há cinco anos e tinham uma filha de 2 anos. O cantor era ainda pai de outros três filhos. A filha mais velha, Beatriz Vitória Melo Cavalcanti, de 15 anos, estava presente no velório, bastante abalada.

Prisão

Em junho de 2020, Boco foi detido com mais três homens por estar com 670 gramas de derivado de pasta base de cocaína.

Ele ficou preso preventivamente até outubro deste ano. Na época, a assessoria do cantor negou o envolvimento do artista e afirmou que ele estava “no local errado na hora errada”.

Nota

Por meio de nota, a SDS informou que as investigações sobre o homicídio “já foram iniciadas pela equipe da Força Tarefa de Homicídios Metropolitana Sul, da Polícia Civil de Pernambuco”.

O governo disse, ainda, que, em Ipojuca, as ações policiais “resultaram numa queda de 37% nos homicídios registrados nos meses de janeiro a novembro deste ano, em comparação com o mesmo período de 2020”. Foram 46 casos em 2020 e 29 em 2021.

“O policiamento ostensivo preventivo, realizado pelo 18° Batalhão da Polícia Militar, seguirá realizando incursões e rondas na localidade a fim de localizar e capturar os envolvidos”, disse a nota.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias